terça-feira, 16 de abril de 2024

Queda da Igrejinha de Pedra pode passar por perícia técnica em Dourados

A queda da conhecida Igrejinha de Pedra, em Dourados, deve passar por uma perícia técnica, para comprovar a real causa do desmoronamento de uma das quatro colunas de sustentação de sua estrutura física, divulgado recentemente em diversas fotos nas redes sociais e repercutido principalmente em grupos de WhatsApp.

A investigação foi sugerida pelo vereador Mauricio Lemes, durante sessão desta segunda-feira (25), na Câmara Municipal. Segundo ele, a perícia técnica é necessária tendo em vista um Projeto de Lei de sua autoria, que prevê o tombamento histórico cultural, tanto da Igrejinha de Pedra como do cemitério anexo, onde estão sepultados parte da família Matos.

Coluna central da Igrejinha desmoronou causando a queda da estrutura (Foto: Redes sociais)

Em contato com o Estado Notícias, o vereador afirmou ainda que o projeto foi protocolado em março de 2022, e, considerando o desmoronamento deve entrar em pauta nos próximos dias, na Câmara de Dourados.

“Nossa preocupação é preservar a história da cidade de Dourados e todos que participaram deste contexto. E para isso vamos pedir que uma equipe vistorie o local para sabermos exatamente o que aconteceu com a Igrejinha de Pedra”, disse Mauricio Lemes.

PROIBIDA VISITAÇÃO

A Igrejinha de Pedra fica localizada em uma área rural particular (Fazenda), entre a UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) e a rodovia de acesso a BR-463, via de acesso à Ponta Porã.

Ela foi construída em 1.999, com sobras de entulhos (tijolos) proveniente da reforma da igreja católica matriz (Catedral) de Dourados, como forma de homenagear parte da família Mattos, no pequeno cemitério existente em frente a Igrejinha.  No local estão sepultados aproximadamente 20 corpos.

Local foi gladiado para cultivo de lavoura, impedindo acesso de visitantes (Foto: Paulo Takarada)

Durante meses foi muito frequentada por grupos de ciclismo que aproveitavam o roteiro dos “pedais” para tirar fotos. Não demorou muito o local passou a ser um considerado um cartão postal para visitação dos douradenses, porém atos de vandalismo ocorreram, como pichações nas paredes e violações de túmulos.

O fato gerou revolta aos proprietários que acharam por bem ‘gladiar’ todo o entorno da Igrejinha para a lavoura de soja e milho, impedindo o acesso dos visitantes.

Em matéria publicada no site Dourados News, o proprietário do monumento afirmou que a queda ocorreu devido aos fortes ventos registrados recentemente no município e não descarta a revitalização do local.

No entanto, caso aprovado a lei de tombamento histórico, as ruínas provenientes do desmoronamento deverão ser preservadas, assim como o cemitério anexo.

LEIA TAMBÉM: Cruzeiro fixado na Igrejinha de Pedra vai ter que ser retirado em três dias

Crédito: João Pires

 

Nesta segunda-feira a temperatura pode atingir até 43°C em algumas regiões do estado

A previsão do Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima) para esta segunda-feira (25) indica tempo firme, com sol e variação de nebulosidade, devido a atuação de um bloqueio atmosférico que favorece altas temperaturas, porém não está  descartada a ocorrência de pancadas de chuvas no estado.

As temperaturas podem atingir até 43°C, segundo a meteorologista Valesca Fernandes, do Cemtec, órgão vinculado à Semadesc (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação).

Além do tempo quente, são esperados baixos valores de umidade relativa do ar, entre 10% e 20%. Por isso é recomendável beber bastante líquido, umidificar ambientes e evitar exposição ao sol nos horários mais secos e quentes do dia.

As temperaturas mínimas devem ocorrer entre 25°C e 27°C e máximas de 41°C, nas regiões Sul e Leste do estado. Para as regiões Norte, Pantaneira, Bolsão e Sudoeste podem ser registradas mínimas entre 26°C e 29°C, e máximas de até 43°C. Em Campo Grande, mínimas entre 25°C e 26°C, com máximas até 38°C.

Já os ventos atuarão do quadrante norte, com valores entre 40 km/h e 60 km/hora, podendo ocorrer, pontualmente, rajadas de vento acima de 60 km/h.

A partir de quarta-feira (27), o avanço de uma frente oceânica pode favorecer a queda de temperaturas, com mínimas entre 13°C e 16°C, na região Sul e Leste do estado, com possibilidade de chuvas, tempestades e rajadas de vento no estado.

Fonte: Portal do MS

INSS começa a ligar hoje para segurados anteciparem perícia

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começa nesta segunda-feira (25) a ligar para segurados que estejam aguardando perícia médica para concessão de benefício por incapacidade temporária (antigo auxílio-doença) há mais de 45 dias. O objetivo é antecipar o benefício por meio do Atestmed.

Em nota, o instituto informou que o número (11) 2135-0135 vai aparecer na tela de chamada do telefone do segurado quando a entidade ligar para remarcar o atendimento ou para confirmar ou antecipar o agendamento de perícia médica e/ou avaliação social. O número não recebe chamada telefônica e não tem WhatsApp.

“Caso o cidadão fique em dúvida se deve atender a ligação ou ache que é vítima de golpe, basta fazer uma chamada gratuita para o número 135. O número do SMS da Central 135 continua sendo o 28041. Portanto, se receber uma mensagem no celular com esse número é o INSS entrando em contato.”

O comunicado destaca que o INSS não entra em contato com o segurado para pedir número de documentos, foto para comprovar a biometria facial, número de conta corrente ou senha bancária – apenas para antecipar atendimento, remarcar consulta, dar informação sobre requerimento, entre outros serviços.

“E, mesmo assim, é o instituto que informa os dados. Se receber ligação solicitando suas informações ou foto de documento, fuja. É golpe!”

A expectativa do governo é reduzir o número de pedidos aguardando análise e chegar a dezembro com a fila de requerimentos dentro do prazo legal, que é de até 45 dias.

FILA

Atualmente, a fila de pedidos que precisam passar por perícia médica para concessão do benefício está em 1,1 milhão de pessoas, sendo 627 mil perícias médicas iniciais, 250 mil avaliações de exames para Benefício de Prestação Continuada (BPC) para pessoa com deficiência e 300 mil de outras perícias.

Prazo

O prazo máximo para concessão do benefício por meio do Atestmed é 180 dias e, caso o segurado tenha o benefício negado, terá prazo de 15 dias para realizar novo requerimento.

O envio da documentação necessária para a concessão do benefício por incapacidade temporária deverá ser feito por meio dos canais remotos de atendimento – Meu INSS (acessível por aplicativo ou página web) e Central de Atendimento 135. O requerimento feito por meio da central ficará pendente até que os documentos sejam anexados.

Quando não for possível a concessão do benefício por meio de análise documental – por não cumprimento dos requisitos estabelecidos ou quando o repouso necessário for superior a 180 dias – o segurado poderá agendar um exame médico pericial presencial. O requerimento para a prorrogação de um benefício não poderá ser feito por meio de análise documental.

O segurado que já tiver um exame médico pericial agendado poderá optar pelo procedimento documental, desde que a data de agendamento da perícia presencial seja superior a 30 dias da data do requerimento.

Os benefícios que dependam de perícias médicas externas (domiciliar ou hospitalar) e os que decorram de cumprimento de decisões judiciais também poderão ser concedidos por meio da análise documental.

DOCUMENTAÇÃO 

A documentação médica ou odontológica apresentada pelo segurado na hora do requerimento deve ser legível e sem rasuras, contendo, obrigatoriamente, as seguintes informações:

– Nome completo do segurado;

– Data de emissão do documento (não podendo ser superior a 90 dias da data de entrada do requerimento);

– Diagnóstico por extenso ou código da Classificação Internacional de Doenças (CID);

– Assinatura e identificação do profissional emitente, com nome e registro no conselho de classe ou carimbo;

– Data do início do afastamento ou repouso;

– Prazo necessário estimado para o repouso.

Fonte: Agência Brasil

Em Dourados, professora mobiliza estudantes para gravações no Estúdio Móvel Fesmorena

As gravações no estúdio móvel do 8º Fesmorena estão a todo vapor no Teatro Municipal, em Dourados, até sexta-feira (22). A mobilização da professora Joice Menezes chamou a atenção da organização, afinal, levou quatro alunos para gravarem suas músicas para o festival, que tem objetivo de despertar nos estudantes de 7 a 17 anos o estímulo à criação e ao desenvolvimento de atividades musicais.

Joice dá aulas de química nas escolas estaduais Maria da Gloria Muzzi Ferreira e Professor Alício Araújo, e de música na Escola Estadual Vilmar Vieira Matos. Sabendo da presença do estúdio móvel em Dourados, promoveu aproximação entre alguns alunos dessas unidades de ensino, para gravarem suas canções para o 8º Fesmorena.

“A iniciativa de participar do Fesmorena foi proporcionar aos alunos nova visão musical no sentido de eles saírem dos portões das escolas e abraçarem essa oportunidade. Eu e o professor Mateus Franco, que dá aulas de teatro nessas três escolas, começamos a nos organizar quando vimos que estavam abertas as inscrições, chegamos até a realizar ensaio. Quando ficamos sabendo que o estúdio móvel viria para Dourados, foi uma grande alegria, afinal, faríamos a gravação das músicas em alguma escola, porém a qualidade de áudio não seria tão boa. Eles adoraram”, comemora a professora Joice.

serão selecionadas 15 canções para apresentação em 28 de outubro no Teatro Glauce Rocha (Foto: Divulgação)

Aluna de música da professora Joice na Escola Professor Alício, Hemily Cunha Henning, 15 anos, gravou a canção “Chuva de verão”, que mistura reggae e freestyle, gênero de música eletrônica surgido em Nova York nos anos 80. “A iniciativa da organização do Fesmorena em disponibilizar o estúdio móvel para gravação é muito acolhedora, pois ajuda muito quem não tem condições de gravar num estúdio particular. É um ato de grande responsabilidade social e empatia, já que existem muitos jovens artistas de vários estilos espalhados por Mato Grosso do Sul”, ressalta Hemily, que cantou sua canção, acompanhada do violonista Lucas Gabriel da Silva Pena.

Já Pedro Henrique de Oliveira Nunes, 14 anos, aluno da Escola Vilmar, gravou a música “Um banco da praça”, que possui pegada puxada para o groove, acompanhado do guitarrista Ezequias Manoel da Silva, que estuda na Escola Professor Alício. “Achei muito boa a iniciativa da disponibilização do estúdio móvel porque isso dá oportunidade para todos participarem democraticamente, gravando suas músicas com uma boa qualidade de áudio”.

Carlos Eduardo Fernandes de Albuquerque, 16 anos, estuda na Escola Estadual Maria da Gloria Muzzi Ferreira, e cantou o sertanejo “Pela Madrugada”, que tem como tema principal o amor. ‘Acho importante essa atenção que a organização do festival teve em oferecer o estúdio móvel para gravação, até porque não fazia ideia de como gravaria minha canção e a mandara para as seletivas. Por meio do estúdio, consegui ter um norte do que fazer e como fazer”.

FESMORENA – Promovido pelo Instituto Educacional Alexandrina Carlos Pinheiro, o Fesmorena teve início em Campo Grande em 2015. Podem participar estudantes de escolas públicas e particulares de Mato Grosso do Sul, com idades entre 7 e 17 anos.

Conforme a organização do festival, serão selecionadas 15 canções para apresentação em 28 de outubro no Teatro Glauce Rocha. As premiações são as seguintes:

1º Lugar: R$3.000,00 (três mil reais) + troféu + 1 violão autografado por Almir Sater, Gabriel Sater, Guito Show e pela banda britânica Dire Straits

2º Lugar: R$1.500,00 (mil e quinhentos reais) + troféu

3º Lugar: R$750,00 (setecentos e cinquenta reais) + troféu

Melhor Letra: R$750,00 (setecentos e cinquenta reais) + troféu

Voto Popular: R$1.500,00 (um mil e quinhentos reais) + troféu

Melhor Torcida: R$2.000,00 (dois mil reais) + troféu

Todas as apresentações do evento serão gravadas e transformadas em um programa que será exibido via Globoplay, Youtube e também em um programa especial da TV Morena. As inscrições podem ser feitas pelo site www.fesmorena.com.br

Fonte: Assessoria