quarta-feira, 1 de dezembro de 2021

A quem interessa a cadeira de prefeito de Dourados?

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Inferno astral

Segundo o calendário zodíaco, o ‘inferno astral’ é aquele momento que antecede a data do aniversário de alguém onde acontece tudo de negativo, onde nada é tão ruim que não possa ser pior. Comparação perfeita para o cargo de prefeito de Dourados, só que em período reverso, ou seja, pós eleição.

Passado

Prova disto, foram os primeiros meses do mandato do excêntrico ex-prefeito Ari Artuzi, eleito em 2008 e que acabou falecendo em um hospital público, após ser preso e ter o mandato cassado por denúncia de corrupção e posteriormente absolvido dias antes de morrer. Triste sina.

Mais passado

Exemplo mais recente também foram os primeiros meses da ex-prefeita Délia Razuk, após seis anos de “calmaria” pelo seu antecessor, passou por maus bocados com uma folha de pagamento inchada, tendo em vista a necessidade de adequações no PCCR (Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações). E assim foi…

E hoje

E hoje, nada de novidade considerando as recentes denúncias de supostos favorecimentos de mídias publicitárias, apresentadas durante sessão da Câmara Municipal pela vereadora Lia Nogueira contra o atual prefeito Alan Guedes, eleitos pelo mesmo partido (PP).

Até quando?

Fica a pergunta: Chegaremos ao dia em que Dourados terá uma governabilidade plena, sem ‘ruídos’ de denúncias, CPI’s e perdas de mandato, incluindo no Legislativo?.

A Cadeira

Se você chegou até aqui certamente foi atraído pelo título e assim como a coluna Rapidinhas, quer saber a quem pertence a cadeira de prefeito de Dourados? Em tese, pertence ao povo douradense que busca sua independência política demonstrada nas urnas há quase 20 anos. Que Deus nos abençoe!

(Colunista: João Pires)