segunda-feira, 26 de fevereiro de 2024

Amor incondicional, por Gustavo Emidio

Compartilhar

Gustavo Emidio (*)

Quando Mateus era rejeitado pelos demais judeus devido à sua atividade profissional na coletoria a serviço do Império Romano, Jesus o chamou para ser um dos seus doze apóstolos.

Da mesma forma, quando Zaqueu, envolvido em corrupção, era motivo de rejeição, Jesus aceitou o convite para jantar em sua casa.

E quando uma mulher adúltera, prestes a ser apedrejada conforme os decretos religiosos da época, foi trazida diante de Jesus, Ele constrangeu seus acusadores e a perdoou.

Quando Pedro negou a Cristo e desistiu de sua nobre missão para voltar à pesca, Jesus o restaurou, dizendo: “Apascenta as minhas ovelhas”.

Quando Paulo, inicialmente desacreditado pela igreja devido à sua história como perseguidor, foi acolhido e endossado por Barnabé, sua trajetória mudou.

Da mesma forma, quando João Marcos foi impedido por Paulo de acompanhá- lo em sua segunda viagem missionária devido a um fracasso anterior e abandono da equipe, Barnabé intercedeu por ele, concedendo-lhe uma segunda chance.

Quando éramos pecadores, distantes de Deus e de Sua glória, Ele interveio em nossa condição, tornando-se a propiciação pelos nossos pecados e reconciliando-nos com o Pai.

Assim evidenciamos que o reino de Deus é o reino da aceitação, o qual se compadece do leproso, do cego, da prostituta, dos fracassados, daqueles que pensam diferente, daqueles com temperamentos complicados, daqueles que erraram, traíram e pecaram, daqueles que o mundo condenou e satanás subjugou, daqueles que desistiram de si mesmos, dos solitários e depressivos, daqueles com um passado tenebroso ou mesmo dos que não tem perspectiva de futuro, dos felizes nas redes sociais, mas confusos em seu interior, dos que precisam de aprovação de todos para suprirem a baixa autoestima que nunca os abandona, enfim, todos estes cabem no reino de Deus, e quando o reino de Deus cabe dentro deste, a vida muda, o coração renasce, o sorriso retoma seu lugar, os pés se endireitam, a vereda se torna como a luz da aurora, que vai brilhando cada vez mais, até se tornar dia perfeito (Pv 4:18).

Assim Jesus aceita a você, aceita seu colega de trabalho, seu amigo de faculdade, seu vizinho e mesmo aqueles cujo jeito de ser é difícil de suportar.

Em um mundo outrora complexo, vazio e perdido Jesus veio fazer a diferença, trazendo esperança e salvação, já em nosso mundo atual tão ou mais complicado, Deus vê em você a solução de conflitos internos e relações feridas, pois pelos mesmo Espírito que habitou em Jesus atua em nós para tão somente continuar a fazer tudo aquilo que Ele iniciou (At 1:1) a fim de trazer luz onde as trevas imperam, esperança onde não há mais saída e trazer alívio onde a dor fez seu aposento.

A Bíblia diz que quando aceitamos uns aos outros como Cristo nos aceitou, glorificamos a Deus (Rm 15:7). A Bíblia também diz que o mundo crerá em Deus quando observar a unidade que cultivamos (Jo 17:21). Que este mundo carente de afeto encontre em nós Cristãos, amparo mais que rejeição e aceitação mais que julgamento, pois foi assim que Ele fez, assim ele espera que façamos também.

(*) Pastor evangélico – Autor do livro “Transforme-se de Dentro pra Fora”