quarta-feira, 4 de agosto de 2021
  • Cidades
  • Dourados
  • Após Lockdown, Dourados registra redução de 48,6% na taxa de óbitos

Após Lockdown, Dourados registra redução de 48,6% na taxa de óbitos

Maio foi pior mês da pandemia no município, revelam dados da Vigilância Epidemiológica

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
No decorrer do mês, a situação se agravou entre as semanas 19 e 22 foram mais de 5.178 casos novos confirmados (Foto - Divulgação)

Dourados apresentou queda na taxa de óbitos e transmissão da Covid-19, segundo dados da Vigilância Epidemiológica. O quantitativo de mortes caiu 48,6% e a circulação do vírus foi reduzida em 52%. No sábado (12), foi encerrado o período de lockdown de 14 dias na cidade. Especialistas apontam que os resultados efetivos em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) ocorrem após cerca de 15 dias.

Entretanto, o levantamento feito pela Vigilância Epidemiológica revela que entre os dias 30 de maio e 12 de junho, referentes às semanas epidemiológicas 22 e 23, o número de óbitos que seguia em alta, apresentou redução saindo de 5 mortes, em média, para 2,57.

De acordo com o gerente da Vigilância Epidemiológica, Devanildo de Souza Santos, em todos os aspectos quando analisamos a pandemia da Covid-19, o município vinha em uma crescente e, após o período de restrições, tem apresentado dados positivos. Por exemplo, em relação ao número de óbitos confirmados, houve uma redução de 51%, passando de 37 óbitos da primeira semana a 19 no fim do lockdown.

“Ao olharmos a onda da Covid-19 em Dourados, percebemos que a doença tomou uma proporção muito grande no mês de maio, a pior desde o início da pandemia. Após as duas semanas de lockdown, é possível sentir a melhora gradativa que a medida traz. Além da redução no número de mortes, houve também uma redução de novos casos de Covid, o que é muito positivo”, pontua Devanildo.

A redução na média móvel de casos positivos foi de 52%. O registro de novos casos estava em 209,57 e passou para 99,43. Esse cálculo é baseado na soma dos casos dos últimos 7 dias do levantamento e dividido pelo mesmo período.

Já em relação aos casos totais, o mês de maio foi um dos piores quando pensamos em novos infectados pelo vírus. O início do mês ocorreu no último dia da semana epidemiológica 17 e, em apenas uma semana, houve um aumento percentual de 32% em novos casos, se comparado com a semana 18. Passando de 655 para 865 casos.

No decorrer do mês, a situação se agravou entre as semanas 19 e 22 foram mais de 5.178 casos novos confirmados. Pela primeira vez, o município passou quatro semanas com mais de 1 mil casos registrados no acumulado, o que registrou 1.444 casos. Já na semana 23, esse total passou para 696 casos, uma redução de 51,8% em duas semanas.

O médico responsável pela Central de Regulação do município, Frederico Weissinger, destaca que os números são positivos, mas ainda não podem ser atribuídos ao Lockdown e ressalta que o melhor caminho é que a população mantenha o distanciamento e o uso de máscaras.

“A Covid pode ser avaliada em ciclos de 14 ou 15 dias e na próxima semana os resultados podem ser ainda melhores. O ideal neste momento é que a população mantenha as medidas de segurança, como o distanciamento e o uso constante de máscaras, para que o efeito das medidas restritivas seja ainda mais duradouro no município”, destaca Frederico.

Para o prefeito Alan Guedes, o próximo passo é aguardar a nova publicação do Programa Prosseguir que avalia de 15 em 15 dias a situação dos municípios do Estado. “Nós ainda estamos em bandeira cinza no Prosseguir, o que indica que ainda vivemos um momento de muito cuidado, nós precisamos nos manter fortes e cuidadosos, para evitar que as taxas de contágio voltem a subir”, assegura Alan.

 

Foto: Assecom

Últimas notícias