terça-feira, 16 de abril de 2024

Jornalista Vaner Matos se prepara para lançar ficção que aborda um polêmico experimento social

O jornalista caarapoense Vaner Matos organiza os últimos detalhes para o lançamento de seu primeiro livro. A obra literária de ficção, publicada pela Biblio Editora, com o título de “O Rapto: aborda um polêmico experimento social” cujo enredo gira em torno de um professor aposentado que raptava andarilhos e usuários de drogas com a finalidade de recuperá-los.

Em 278 páginas, o autor narra a saga de um homem que após perder seus dois filhos para as drogas e a esposa que, não suportando a dor da perda acabou cometendo suicídio. O escritor utiliza-se dessa fatalidade e dá um novo rumo à vida do professor solitário, que após ser premiado com um expressivo valor pela Mega Sena constrói um centro de recuperação clandestino e passa a raptar quem ele chama de “invisíveis da sociedade”.

O autor brinca com o choque de realidade e a ficção, deixando o leitor confuso. Pois de lado, aborda a fragilidade das políticas sociais para um grupo de pessoas que vive em vulnerabilidade social, do outro, a ficção, dando vida ao personagem principal que ferindo princípios, ética, normas e leis, rapta esses “invisíveis” das ruas e tenta provar que seu método de recuperação por meio da leitura funciona. Seu ponto de apoio para a façanha é: “O fim Justifica os Meios”.

O escritor afirmou que, embora seja um gênero literário de ficção a obra gera muitas discussões e reflexão no campo jurídico, social e da psicologia. “Por isso fiz questão de apresentá-la a profissionais dessas três áreas. Inevitavelmente e diga-se, de forma já esperada, houve muitas críticas técnicas quanto à abordagem e a forma como a trama acontece, pois realmente o desfecho do livro fere, diretamente, os princípios dessas três áreas. Mas o clímax do livro é exatamente este. Tem que ler para tirar as conclusões”, disse Vaner Matos.

O lançamento acontecerá no dia 6 de outubro, às 19h, na Câmara Municipal de Caarapó.

Fonte: Assessoria

Chega remessa de telhas compradas com recursos da Defesa Civil do Estado

A Prefeitura de Dourados continua com as ações para atender a população atingida pelo vendaval do último dia 30 de agosto. Nesta segunda-feira (4) chegou uma remessa de telhas compradas com recursos da Defesa Civil do Governo do Estado.

De acordo com informações da Semad (Secretaria Municipal de Administração) foram adquiridas 1.200 telhas de fibrocimento ondulada de 6mm, tamanho 3,00 x 1,06 (sem amianto) e 6.000 parafusos zincados com rosca soberba, para a montagem das telhas para o atendimento de 180 famílias. O material, que já começou a ser distribuído, teve o valor total de R$ 124.620,00.

Segundo o levantamento da Semas (Secretaria Municipal de Assistência Social), ao menos 220 imóveis precisam de telhas nos bairros mais afetados. A Semas também realizou plantão neste domingo (3) na Escola Estadual Vereador Moacir Djalma Barros, no bairro Dioclécio Artuzi, onde atendeu a população atingida pelo vendaval com distribuição de roupas, calçados e cestas de alimentos. Um carregamento de telhas também chegou ao local e o material foi distribuído.

Os atendimentos na Escola Estadual Vereador Moacir Djalma Barros, no bairro Dioclécio Artuzi continuam até quarta-feira (6), das 7h30 às 17h.

Fonte: Assecom

Vereador Ishy reitera nota de apoio à gestão de Rita Serrano na Caixa

O vereador Elias Ishy (PT), bancário aposentado e membro ativo do Poder Legislativo de Dourados, manifesta seu apoio à gestão da presidenta Rita Serrano à frente da Caixa Econômica Federal (CEF). Em moção de apoio que reitera o posicionamento dos empregados da CEF, apresentada à mesa diretora, Ishy ressalta a importância da estabilidade na liderança da instituição.

Associações e federações que representam os empregados da Caixa têm acompanhado a recente divulgação de notícias relacionadas à possível substituição de Serrano. Essas informações, segundo o documento – que circula sem confirmação oficial por parte do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) –, levantam preocupações quanto à estabilidade da presidência da Caixa e ao futuro da instituição.

Ishy enfatiza que, além de “desrespeitar a dedicada profissional, qualquer turbulência na liderança da Caixa também afetaria negativamente as equipes diretiva e funcional da empresa”, que, de acordo com ele, reconhecem o trabalho dela. “A presidenta Rita tem desempenhado um papel fundamental na reconstrução da imagem do banco, na valorização da confiança de seus empregados e na melhoria dos resultados financeiros, como são evidenciadas pelo resultado positivo no balanço do primeiro semestre”, afirma.

O vereador ressalta a importância estratégica da Caixa no contexto nacional, destacando que politizar a instituição poderia comprometer o sucesso de programas operados por ela, “que desempenha um papel essencial na realização dos sonhos do povo brasileiro e na busca dos objetivos do Governo Federal”. “Este vereador e bancário aposentado continua a apoiar a gestão da presidenta Rita e expressa seu desejo de que a CEF continue sendo uma instituição sólida e dedicada ao bem-estar dos brasileiros”.

Entidades representativas dos empregados da Caixa compartilham das preocupações do vereador e reiteram o compromisso que mantêm com os valores e princípios que a CEF deve manter para desempenhar seu papel público e social de forma eficaz. Clique aqui para ler a nota.

Fonte: Assessoria

Marçal Filho pede ao governador prioridade na reforma da Escola Vilmar V. Matos

O ex-deputado Marçal Filho manteve audiência oficial com o governador Eduardo Riedel na tarde de terça-feira passada (29), para discutir o andamento de obras e serviços no município de Dourados e entregar ao chefe do Parque dos Poderes uma lista com as prioridades para os douradenses, tais como as obras de reforma da Escola Estadual Vilmar V. Matos, no BNH 4º Plano, região sul de Dourados.

Sensibilizado com a situação dos estudantes e professores, que tiveram que deixar o prédio durante as obras e passaram a ocupar o ginásio de esportes para as aulas, Marçal Filho tratou desse problema com o governador Eduardo Riedel.

“Levei fotografias dos alunos estudando na calçada, de forma totalmente expostos, e relatei ao governador a situação de insalubridade no interior do ginásio, que oferece pouca ventilação, iluminação deficitária e sanitários improvisados”, explicou Marçal Filho.

Segundo o ex-deputado, o governador se sensibilizou com a situação dos estudantes e dos professores. “Ele adiantou que vai determinar estudos imediatos para amenizar o problema e evitar prejuízo aos estudantes da Escola Wilmar”, ressaltou.

“Quando eu recebi as fotografias daquela situação fiquei muito preocupado com a situação dos alunos e dos educadores, pois sou nascido em Dourados, sempre estudei em escolas públicas e tenho conhecimento da dificuldade que é assimilar conhecimento quando não se tem acesso à estrutura adequada”, finalizou Marçal Filho.

Com informações; Assessoria do ex-deputado

Micro e pequenas empresas lideram geração de empregos em julho

As micro e pequenas empresas (MPEs) são o carro-chefe da criação de empregos com carteira assinada no país. Em julho, 79,8% das vagas abertas no Brasil foram absorvidas pelos pequenos negócios. Isso representa 113,8 mil postos de trabalho de um total de 142,7 mil. O levantamento foi feito pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e obtido em primeira mão pela Agência Brasil. Esse montante representa uma média de 3.670 vagas formais geradas a cada dia.

O volume total criado pelas MPEs é quase seis vezes maior que o número de contratações das médias e grandes empresas (MGEs), que concentraram 13,5% das vagas criadas (19.229). Os demais segmentos são instituições sem fins lucrativos (3.813), pessoas físicas (6.032) e administração pública (-200).

No levantamento do Sebrae, são consideradas microempresas as firmas com até nove empregados (agropecuária, comércio e serviço) ou 19 funcionários (indústria e mineração). Pequenas empresas são as que têm até 49 trabalhadores (agropecuária, comércio e serviço) ou 99 empregados (indústria e mineração).

Sete meses seguidos

O estudo leva em conta dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego. O saldo de julho foi o sétimo resultado positivo seguido. A última vez que as MPEs tiverem um mês com mais demissões que admissões foi em dezembro, mês em que a economia costuma ter perda de emprego, por concentrar o término de contratos temporários relacionados à demanda das festas de fim de ano.

O índice alcançado pelas MPEs em julho só é inferior, em 2023, ao registrado em janeiro, quando elas foram responsáveis por 81% das contratações.

Os principais motores da abertura de trabalho nas MPEs, em julho, foram os setores de serviços (46,7 mil vagas), construção (26,1 mil vagas) e comércio (25 mil vagas). As atividades que mais se destacaram foram construção de edifícios (8,6 mil vagas), restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas (5,8 mil), e transporte rodoviário de carga (4,4 mil).

A abertura de ocupação com carteira assinada nas MGEs se concentrou principalmente na indústria de transformação (6,5 mil), serviços (5,8 mil) e agropecuária (4,7 mil).

Acumulado do ano

No acumulado de 2023, a participação proporcional das MPEs na geração de ocupação formal é menor, mas elas seguem na liderança. São 825,4 mil empregos do total de 1,1 milhão criados no Brasil. Isso representa 70,8%, contra 16,4% das MGEs.

Para o presidente do Sebrae, Décio Lima, os números são um reflexo da confiança dos pequenos empreendedores no aquecimento da economia. “A partir de indicadores cada vez mais positivos, somados ao controle da inflação e à perspectiva de continuidade na queda da taxa de juros, os donos de pequenos negócios estão retomando o otimismo. É a confiança de que o país é capaz de acelerar o ritmo de crescimento que faz os empreendedores criarem vagas de emprego”, avalia.

Em julho e no acumulado do ano, todos os estados e o Distrito Federal apresentam saldo positivo de empregos formais em MPEs.

Fonte: Agência Brasil

Semana começa com tempo instável e possiblidade de chuva em diferentes regiões

O tempo segue instável em Mato Grosso do Sul, com previsão de chuva em diferentes regiões neste começo da semana. Podem ter tempestades, seguidas por raios, queda de granizo e rajadas de ventos em locais isolados. As temperaturas ao longo do dia também estarão altas no Estado.

Segundo o Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima de MS) este cenário de tempo instável ocorre devido a uma passagem rápida de uma frente fria, aliada ao intenso fluxo de calor e umidade no Estado.

Na região Sul a previsão é de mínima de 15°C e 17°C, tendo máxima de 31°C. Já no Norte do Estado a temperatura pode chegar a 38°C, com mínimas de 24°C e 26°C. Para Campo Grande a máxima fica em 34°C e mínima de 21°C. Os ventos seguem de 40 a 60 km por hora. Pontualmente pode ultrapassar esta velocidade. No meio da semana (quarta e quinta) o cenário será semelhante, com tempo instável e chuvas espalhadas pelo Estado.

Fonte: Portal do MS