quarta-feira, 4 de agosto de 2021
  • Cidades
  • Dourados
  • Um dos principais cartões postais de Dourados, “Usina Velha” será revitalizada

Um dos principais cartões postais de Dourados, “Usina Velha” será revitalizada

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Projeto da restauração já foi aprovado pelo Ministério do Turismo (Foto: Divulgação)

A Usina Filinto Muller em Dourados, mais conhecida como “Usina Velha”, será revitalizada para ser aberta à visitação da população no pós-pandemia. Tombado como Patrimônio Histórico Municipal, o local, que já serviu de ponto de lazer e diversão nas tardes de domingo para os douradenses, está interditado para a visitação devido às más condições de sua estrutura.

O projeto da restauração já foi aprovado pelo Ministério do Turismo no dia 4 de maio de 2021 e desde então, a Secretaria Municipal de Cultura (SEMC), a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SEMDES) e a Secretaria Municipal de Planejamento Urbano (SEPLAN) trabalham no desenvolvimento do projeto da obra.

Na tarde desta terça-feira (15), o secretário de Cultura, Francisco Chamorro, o “Kinho”, e o arquiteto Dionísio Binelo estiveram na usina para uma avaliação inicial. “A restauração da Usina Velha de Dourados é de extrema importância para o município, pois além de ser um Patrimônio Histórico da nossa cidade, poderá servir como área de lazer para as famílias passarem o fim de tarde e ainda aproveitarem para fazer belos registros fotográficos”, destaca o secretário. Recentemente, o local era muito utilizado como cenário para ensaios fotográficos.

Construção começou em 1949

A Usina Filinto Muller está localizada no fim da rua Albino Torraca próximo ao Córrego Laranja Doce. A estrutura, que faz parte do Tombamento do Patrimônio Histórico Municipal, possui uma área de 12.222,00 m². Sua construção foi iniciada em 1949, ano de sua inauguração. As suas atividades foram paralisadas em 1952 por não suportar a crescente demanda de energia da cidade, que cresceu em ritmo acelerado.

Segundo informações da SEMC, a construção da usina aconteceu em duas fases distintas, sendo que, a primeira delas foi à parte estrutural com concreto e paredes de tijolos comuns e a segunda em que foi construída a chaminé, a fornalha e a caldeira. Esse conjunto de obras e equipamentos tinha a finalidade de gerar a energia elétrica necessária à cidade naquele momento.

 

Fonte: Assecom

Últimas notícias